Pare, olhe e escute!

Trajetória

Eles eram no início apenas dois garotos cheios de sonhos e com uma vontade em comum: fazer do rock um ganha pão e se divertir tocando. O projeto audacioso e muito divertido do vocalista Ale Fontoura e do baterista Gui Cardoso, acabou chamando a atenção de um cara que tocava muita guitarra e queria se divertir tocando com os amigos. Assim sendo, entrou na Parada Obrigatória o guitar man John. Mas como esses guris chegaram ao nome Parada Obrigatória? “Eu estava na autoescola e um dia me deparei com uma dessas paradas obrigatórias da vida e falei para os guris e eles toparam na hora”, explica o vocalista Ale.
Com influência musical de várias vertentes do Rock contemporâneo, surge em 2008, em Ijuí a Parada Obrigatória. Cheios de vontade eles vão logo para o estúdio onde já tem algumas músicas compostas, é hora de colocar em prática. O ímpeto não vem somente da pressa da juventude, é também a vontade de demonstrar que a banda não iria futuramente apenas fazer covers. “A gente sabia que ia fazer nossas próprias músicas e começamos por ai, na cara e na coragem”, diz o baterista Gui Cardoso.
Mas para gravar faltava algo, faltava um baixista. A notícia de que a banda estava crescendo se espalhava tão rápido quanto de que eles precisavam de um baixista. “Na verdade o Geléia se ofereceu para tocar com a gente”, brinca o vocalista. Igor Macgnan “Geléia” aceita o desafio de tocar com aqueles meninos invocados e começa a ensaiar. Neste momento a banda já estava gravando seu primeiro álbum “Loucura Controlada” e Geléia participa da gravação das últimas músicas. É só depois do cd pronto que o último elemento entra na banda. O tecladista Osório, quieto que ele só, mas uma fera no teclado, também passa a fazer parte do intrépido grupo de jovens.
Com novos planos, vontade de cair na estrada, começaram a surgir muitas ideias e formas de pensar no futuro profissional da banda. Foi neste momento que algumas divergências fizeram com que dois dos garotos optassem por deixar a banda. Gui Cardoso e Osório Nascimento deixaram a Parada Obrigatória em fevereiro deste ano.
Mas, como tudo é um recomeço, depois de semanas de ensaio em busca de um novo baterista, eis que surge a cabeça pensante, é hora de André Friedrich mostrar a que veio e ele também passa a fazer parte da família P.O.